Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

18 coisas que profissionais de RH pensam, mas não contam para ninguém

28 de setembro de 2017

Compartilhe esta notícia:

O Buzz Feed Brasil perguntou a profissionais de RH o que eles verdadeiramente pensam durante um processo seletivo. A reportagem preservou a identidade dos entrevistados.

Veja a seguir algumas verdades que todo candidato a uma vaga precisa ouvir. Vamos lá?

  1. “Eu não vou ler a íntegra de todos os currículos enviados.”

Portanto, encher linguiça só piora a sua situação. Seja objetivo em seu currículo e deixe os itens mais importantes sobre você em destaque no topo da página.

  1. Relaxe, nervosismo não é critério para eliminação.

Se você está nervoso numa entrevista de emprego, a melhor coisa é dizer logo e tirar isso da frente. Isso acaba dando mais humanidade à pessoa. Já houve casos de candidato tendo diarreia na entrevista e mesmo assim ele foi contratado.

  1. “Eu desisto de ler o CV no primeiro erro de português ou de digitação.”

Porque isso só pode demonstrar falta de conhecimento ou falta de atenção ao redigir o currículo. E as duas coisas são ruins.

  1. Usar clichês nas suas respostas é brochante.

Ter atenção aos detalhes, trabalhar bem em grupo, ser perfeccionista e pontual são o MÍNIMO que você precisa para ter QUALQUER emprego. Então, durante a sua entrevista,  mostre que você é incrível e se conhece bem.

  1. “Eu olho indicações com outros olhos.”

O currículo que vem do site é como ir num encontro às escuras. Já a indicação é como alguém sendo apresentado por um amigo em comum. Você tende a confiar mais.

  1. Cuidado com propaganda enganosa.

Não prometa coisas que você não vai cumprir, como saber uma língua ou saber usar um programa de computador. E também não minta sobre a sua experiência, pois nós vamos checar com os seus empregadores anteriores.

  1. Aparecer numa entrevista com uma roupa fora do contexto demonstra que você não conhece a empresa ou a vaga.

Um criativo que vai todo engravatado não é legal. Assim como um advogado que aparece de tênis.

  1. A gente acredita em feeling.

Sabe aquela confiança inexplicável, a coisa do “o santo bateu”? Pois é, numa entrevista de emprego, o feeling existe sim e não tem como saber de onde ele vem.

  1. Falar pouco é pior do que falar muito.

Uma pessoa calada aparenta não ter pesquisado a empresa ou não ter pretensões com o cargo. É impossível tratar do seu futuro profissional e você não ter NENHUMA pergunta.

  1. Existem perguntas idiotas, sim. Por exemplo, como faz para chegar no endereço da entrevista.

Mostre que você sabe se virar, que presta atenção e que tem proatividade.

  1. Não ligue várias vezes e nem mande muitos emails a respeito da vaga.

Use aquela ligação ou aquele email para fazer TODAS as suas perguntas. Isso também é uma forma de demonstrar eficiência. E dê preferência ao email sempre!

  1. Suas redes sociais são tão importantes quanto seus antecedentes criminais.

Enquanto você estiver procurando por emprego, as suas redes sociais estarão falando por você. Cuidado com fotos embriagado, sensuais ou postagens polêmicas.

  1. Não se preocupe, você não vai ser eliminado por uma única bobagem que falou na entrevista.

A avaliação é um coletivo de coisas. Se você solta uma bobagem (não ofensiva) ao telefone ou na entrevista, o RH vai relevar isso por conta do nervosismo.

  1. Infelizmente, filhos, idade e aparência ainda pesam, sim.

A verdade é que toda empresa quer alguém entre 28 e 45 anos e sem filhos. Mas uma pessoa jovem e solteira que nunca para no mesmo emprego também não é bem vista. Ou seja, o que fala mais alto ainda é o seu conhecimento.

  1. Não fale dos seus dramas pessoais na entrevista.

Então evite histórias tristes de família, problemas e vida amorosa. Apesar de sermos psicólogos na maioria, a entrevista de emprego não é terapia.

  1. Pode perguntar sobre salário, sim!

Contanto que não seja a primeira coisa que você pergunta. E também entenda quanto o mercado paga para aquela vaga. Pedir um salário exorbitante mostra que você está por fora.

  1. A gente nunca oferece o teto disponível para a vaga.

Geralmente a empresa tem uma margem de negociação, então peça um pouco mais após eles te aprovarem. Mas não fique de leva-e-traz fazendo questão de centavos. E NUNCA mude seu valor no meio da negociação.

  1. Nós também somos humanos.

A gente torce pelos candidatos, odeia dar notícia ruim e AMA sentir que acabamos de mudar a vida de alguém ao oferecer-lhe um emprego.

Fonte: Buzz Feed Brasil

VEJA TAMBÉM: Saiba qual é o perfil profissional mais procurado pelas empresas

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.