Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

20 de março: Dia Internacional da Felicidade

20 de março de 2018

Compartilhe esta notícia:

Comemora-se, hoje (20), o Dia Internacional da Felicidade. Proclamada por meio de uma assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), a data visa promover a felicidade e o bem-estar como metas universais para o desenvolvimento de políticas públicas por todo o mundo.

A ordem do dia é: felicidade. O tema que não é uma novidade e que é comumente abordado em livros, cursos, programas de tv, rodas de discussão, etc., apresenta reflexões distintas. Afinal, o que é a felicidade? Como podemos definí-la? Como a educação contribui para determinar a felicidade de uma pessoa?

Para responder a essas perguntas, vejamos como a Felicidade é compreendida em diversos campos.

 

O que é a felicidade, segundo a Filosofia?

 

O termo felicidade ainda é muito subjetivo e a discussão muito ampla. No campo da Filosofia, a felicidade já era debatida em várias vertentes por grandes pensadores como Sócrates, Platão e Aristóteles.

Aristóteles defendia que a virtude está relacionada com a felicidade, ou seja, a virtude é um meio para alcançá-la. Cultivar a boas virtudes e exercitar o que tem melhor de si é o caminho para alcançar a felicidade plena.

Para Platão a fórmula da felicidade é a soma de cinco fatores: sabedoria nas deliberações, a plenitude dos sentidos e a saúde física, o sucesso, a glória e a abundância de recursos. Quem os possui é perfeitamente feliz.

Entretanto, Sócrates argumentava que a felicidade era medida de acordo com a conduta virtuosa e justa do ser humano, a felicidade era o bem da alma, portanto, somente assim é possível atingí-la.

 

Como podemos definí-la?

 

Por outro lado, a terminologia vai muito além do que a Filosofia buscou definir. É possível, ainda, determiná-la conforme a religião e psicologia.  De forma resumida, a felicidade é um estado natural e constante de plenitude, está associada à satisfação, equilíbrio físico, bem-estar espiritual e paz interior.

 

Como a educação contribui para determinar a felicidade de uma pessoa?

 

O papel da educação é um importantíssimo instrumento para promover a felicidade, sendo por meio dela gerada oportunidades e meios para ser feliz. A educação vai direcionar o indivíduo a adquirir competências, desenvolver senso crítico e preparar bem para o mercado de trabalho.

Para isso, é necessário que a pessoa busque sempre meios de estar em contato com o mundo acadêmico, buscar instituições que esteja alinhada com seus objetivos e ofereça atualizações e especializações profissionais.  A sua carreira também é propulsora da felicidade.

 

Diante isso, é possível inferir que a felicidade é considerada o maior anseio dos seres humanos. A busca pela a felicidade individual pode ser alcançada quando há uma conciliação com o que projetamos para nossas vidas ao que a vida real nos oferece.

 

Leia também: Precisamos falar sobre sua felicidade no trabalho

 

 

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.