Fale com um consultor

As 4 mentalidades que prejudicam a sua carreira

1 de fevereiro de 2018

À medida que ocorrem mudanças no mercado de trabalho, as formas tradicionais de emprego vão ficando cada vez mais obsoletas. Já vivemos numa economia mais dinâmica e muitos profissionais já preferem atuar como prestadores de serviços autônomos a se engajar em empregos com carteira assinada.

O emprego seguro já não é mais uma realidade (e isso não é ruim)…

Uma importante verificação que muitos profissionais já fizeram é que a estabilidade do emprego não existe mais (a não ser para servidores públicos). Todo trabalho é temporário. Quanto mais depressa nos adaptarmos a essa mentalidade, melhor. É bem verdade que ainda existem profissionais que cultivam uma mentalidade desatualizada, que sonham em passar muitos anos numa grande empresa que os garanta benefícios e abonos por tempo de serviço.  Se você está entre os que ainda acreditam nisso, melhor se preparar para uma decepção. Hoje, não há garantias quando se trata de avançar na carreira.

Uma pesquisa recente realizada pelo LinkedIn com mais de 10.000 profissionais que mudaram de emprego mostra que mais de 53% deles mudaram para obter melhores oportunidades. Enquanto o dinheiro era importante (ficou em segundo lugar), a necessidade de se mudar para um emprego que poderia dar-lhes a chance de aumentar suas habilidades era a principal razão da mudança. Eles buscaram garantir a empregabilidade mantendo suas carreiras em progresso. No entanto, infelizmente, nem todos os profissionais terão sucesso nessa empreitada. Sabe por quê? Eles cultivam ao menos uma das quatro mentalidades a seguir:

  1. O que pensa demais

    Existem profissionais que pensam em todas as opções de carreira como grandes riscos, e costumam ver falhas e barreiras para cada opção. É claro que cautela e planejamento são imprescindíveis. No entanto, chega um momento em que é preciso agir. Essas pessoas que cultivam essa mentalidade passam horas, dias, semanas e até anos pensando (demais) sobre o que devem fazer a seguir. E o tempo avança enquanto elas ficam presas sem adquirir novas habilidades, em seus empregos sem perspectivas. São esses os que costumam encabeçar as listas de demissões em reestruturações.

  2. O de mente obtusa  

    A pessoa que sabe exatamente o que quer fazer e não tem vontade de considerar quaisquer opções alternativas. Convencidos de que eles têm o plano mestre perfeito, eles funcionam como loucos, muitas vezes até o ponto de exaustão. Ao longo do tempo, essa mentalidade acaba prejudicando-os seriamente. Os colegas de trabalho e os gerentes os veem como rígidos e controladores, o que muitas vezes os faz estar fora das seleções para melhores cargos.

  3. O falastrão 

    A pessoa que costuma falar mais do que fazer. Essas pessoas estão cheias de ideias e parecem muito convincentes de que serão um grande sucesso. Eles parecem ter tudo planejado. No entanto, com o passar do tempo, você percebe que eles não estão indo a lugar algum. Eles sempre têm uma desculpa e, geralmente, a culpa é de outra pessoa ou das circunstâncias, ou falta de sorte…

  4. O refém do acaso 

    O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído“. A letra da música dos Titãs parece poética, mas não serve para a condução de uma carreira. A pessoa que segue essa mentalidade pensa que o destino a guiará na jornada profissional. Acreditam equivocadamente que se apenas mantiverem uma mente aberta e deixarem as oportunidades se apresentarem, uma carreira dos sonhos acontecerá como que por milagre. Talvez estejam certas: só nos sonhos mesmo…  Ao longo do tempo, esses profissionais pulam de emprego em emprego, aleatoriamente nunca estabelecendo nenhuma habilidade ou especialidade específica. Eles afirmam que estão gostando do processo, mas, à medida que os anos passam, eles se encontram com menos opções e estagnados.

Olhando para trás em sua carreira, você pode se identificar com alguma dessas mentalidades? Se você está pensando: “Não sou eu”, considere isso: Estudos realizados por CAREEREALISM mostram que 88% dos profissionais se sentem insatisfeitos com seu sucesso profissional. Enquanto você não pode ser um caso grave de nenhuma das mentalidades acima, mesmo possuir uma delas em menor medida pode prejudicar sua capacidade de avançar.

Pergunte a si mesmo: “Eu sou culpado de uma mentalidade que limita a carreira?” Quanto mais cedo você reconhecer o que o afasta, mais cedo você pode fazer mudanças para progredir.

VEJA TAMBÉM: Afinal, como ser um profissional inovador?

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.

New Call-to-action

Nossos App

Siga o Wpós nas redes sociais