Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

Como identificar e prevenir o estresse no trabalho

1 de fevereiro de 2017

Compartilhe esta notícia:

shutterstock_568523509

Se você está no mercado de trabalho, é provável que já tenha sofrido um ou mais dos seguintes sintomas: dificuldade em se concentrar, ansiedade, mau humor e, até mesmo, dores musculares. Talvez a razão para isso seja o estresse no ambiente profissional. Essa condição não é algo natural e, além de afetar sua qualidade de vida, é prejudicial à sua saúde. Claro que um dia difícil é natural e aceitável, porém quando isso se torna uma rotina, é hora de ficar alerta.

De acordo com a Agência Europeia de Segurança e Saúde no Trabalho (European Agency for Safety and Health at Work), os seguintes aspectos podem causar riscos psicológicos ao trabalhador:

  • Sensação de insegurança causada, por exemplo, por contratos precarizados;
  • Longas jornadas de trabalho e sobrecarga de tarefas;
  • Dificuldade para balancear vida profissional e pessoal;
  • Assédio moral;
  • Condições de trabalho não adaptadas a pessoas mais velhas.

E o problema se agrava pela dificuldade de muitos profissionais em identificar o problema que pode acarretar transtornos como depressão e alcoolismo, nada menos do que a terceira causa de afastamento no trabalho entre os segurados do INSS. De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) o estresse é uma das causas mais recorrentes para esses problemas.

Como prevenir

A OIT desenvolveu um manual de treinamento para prevenir riscos psicossociais e promover a saúde e o bem-estar no trabalho. Veja, a seguir, algumas dicas:

  • Aprenda a reconhecer reações ao estresse e as utilize como sinais de alerta.
  • Procure identificar a causa do estresse: trabalho, problemas familiares, situação financeira, auto cobrança. Feito isso, procure se livrar das condições que causam o estresse.
  • Procure estimar a verdadeira dimensão dos problemas para não superestimar questões menores. São comuns problemas chatos que, na verdade, não são nenhum desastre.
  • Tente não se preocupar demais com o que está por vir. Se as previsões ruins não se concretizarem, e você terá se preocupado à toa.
  • O que não tem solução, solucionado está. Aceite o inevitável e procure se preparar à medida do possível. Às vezes, o problema nem era tão grave quanto aparentava.
  • Aprenda a valorizar o que há de bom em sua vida. Quanto os aspectos que gostaria de mudar, procure identificar o que é possível melhorar para definir suas estratégias.
  • Busque compensação em outras áreas da vida. Quando o trabalho está numa fase ruim, procure ter momentos de qualidade com a família e os amigos. Se os problemas são no campo pessoal, busque se realizar no trabalho.
  • Tente contar com as pessoas em quem você confia. Às vezes, um desabafo com um familiar ou amigo próximo pode ser um alento.
  • Seja realista ao definir suas metas e objetivos. Uma boa ideia é dividir seus objetivos em etapas, de forma a conseguir cumpri-las.

*Com informações do UOL

VEJA TAMBÉM: Estudo e trabalho: 7 dicas para conciliar sem estresse

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.