Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

Dia Mundial da Água: qual a sua cota de responsabilidade?

22 de março de 2017

Compartilhe esta notícia:

Imagem: http://www.un.org

Qualquer que seja sua formação acadêmica, certamente a água é assunto de um capítulo de algum de seus cursos. Isso porque a água tem interface com praticamente todas as atividades humanas, sejam elas de uso consuntivo (agricultura e pecuária, indústria e saneamento básico) ou não consuntivos (geração de energia elétrica, navegação e turismo).

Por sua importância e transversalidade, desde 1993, após a Rio 92, as Nações Unidas celebram o Dia Mundial da Água. Neste ano, as águas residuais ganham a mídia, escancarando a forma como nós, “seres urbanos”, tratamos esse recurso vital, nossa mãe Água.

Observem: recebemos água potável das companhias de saneamento ou água pura, diretamente da natureza, e a descartamos com os mais variados tipos de poluentes. É como se a água passasse por nossas casas, comércios, escritórios e indústrias somente para limpar e levar tudo o que é sujo, ruim e negativo.

E ao mesmo tempo, nessa passagem, ela generosamente move equipamentos, faz crescer plantas, dilui medicamentos e temperos, cozinha alimentos e mata nossa sede. Em outras palavras, além de ser essencial para a nossa saúde, ela cria empregos e dá base ao nosso modelo de desenvolvimento social, econômico e humano, seja ele qual for.

Hoje, enquanto há 663 milhões de pessoas vivendo em situação de escassez de água potável próxima de suas residências, as Nações Unidas nos convidam a pensar em formas de reusar, reciclar e reduzir o consumo da água em nossos ambientes urbanos e rurais. Desejar e exigir que as águas de nossas cidades sejam tratadas antes que atinjam os nossos rios deveria ser uma prioridade de todos os eleitores. Não é possível continuarmos desperdiçando nossos esgotos sem considerar os benefícios que poderiam nos proporcionar se fossem aproveitados adequadamente.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 6, acordado durante a Rio+20, nos diz para trabalharmos pela disponibilidade da água e pelo saneamento completo de nossas cidades (abastecimento, tratamento dos esgotos, gestão de resíduos sólidos e drenagem): vamos Reduzir o consumo, Reusar e Reciclar a água de forma segura e adequada o quanto antes! Isso vale para seu local de trabalho ou residência! Tudo a ver com você e comigo, com as decisões que tomamos cotidianamente.

As oportunidades de aproveitar as águas residuais que as redes de esgoto despejam nos rios limpos são enormes: se tratadas de maneira correta podem gerar água-fertilizante para agricultura e paisagismo, energia ou refrigeração de ambientes, ou outros subprodutos úteis para as próprias cidades. Os esgotos urbanos, considerados um passivo ambiental até hoje, precisam ser vistos como recursos valiosos, como matéria-prima para novos produtos. As cidades precisam deixar de ser poluidoras das águas de nossos rios e de nossas praias.

As administrações municipais devem providenciar o Plano Municipal de Saneamento definindo onde será construída a Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) municipal, reservando a área e garantindo um projeto adequado à realidade local.

Que nossos gestores ambientais se tornem políticos com a percepção de que tratamento de esgoto deve ser tratado como prioridade. A contaminação das águas pode vir a gerar problemas de saúde para os próprios moradores que a contaminaram, fechando um ciclo vicioso que precisa ser transformado em virtuoso por meio do aproveitamento, inclusive econômico, das águas residuais urbanas. Além de, claro, os prejuízos ao planeta terra com o mal uso da água. Sejamos conscientes!

TEXTO: 

Maria do Carmo Zinato, professora de Gestão de Recursos Hídricos e Saneamento Básico no curso de Pós-Graduação a Distância em Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do programa WPos, presidente do Instituto Brasileiros de Estudos e Ações em Saneamento Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos (IBEASA). Participante da Rede Interamericana de Recursos Hídricos (RIRH).

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.