Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

Faltam profissionais qualificados para atuar no ramo de E-commerce

19 de julho de 2013

Compartilhe esta notícia:

Faltam profissionais qualificados para atuar no ramo de E-commerceO comércio eletrônico caminha a passos largos no Brasil. De acordo com informações da Revista Veja, o faturamento do setor neste ano deve ultrapassar a marca de 22 bilhões de reais.

A estimativa é de que a área passe por um crescimento de 20% em relação às vendas do ano passado. Segundo especialistas da E-bit, empresa que consolida dados do e-commerce nacional, o setor pode registrar outro recorde neste ano: 40 milhões de brasileiros (metade dos usuários de internet no país) devem fazer ao menos uma compra em uma das 30 mil lojas on-line existentes. No entanto o a falta de profissionais qualificados já afeta o setor.

O levantamento feito pela E-bit ouviu 274 profissionais de pequenas e médias empresas de e-commerce de todo o Brasil, sendo que mais da metade delas tinha postos abertos para contratação imediata nos últimos seis meses.

O estudo revelou que em 65% dos processos de seleção, os candidatos não estavam preparados para ocupar as vagas oferecidas. Para o diretor de marketing da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, Gerson Rolim, isso gera prejuízo para o setor. “A relativa escassez de mão de obra especializada é fruto do crescimento acelerado do e-commerce no Brasil”, justificou Rolim. Para o diretor, por ser relativamente novo, o setor demanda novas competências em intervalos de tempo muito curtos.

Rolim faz um alerta para outra demanda que se impõe às empresas. O chamado m-commerce. “Há um ano, as compras via celular eram irrisórias (em muitos casos ainda são), mas as empresas já sabem que é para lá que caminha o consumidor”, explica.

Mercado

O setor de e-commerce se expandiu e se fragmentou em várias subáreas específicas. Hoje, está dividido em dois grandes campos, técnico e de negócios, repartidos, por sua vez, em várias subdivisões. O primeiro campo engloba as funções de designer, desenvolvedor web e de plataformas móveis, enquanto o segundo fica com gerência de e-commerce, marketing digital, mídia social, logística, benchmarking, metadados e call center.

Segundo o último levantamento feito pela empresa de recrutamento e seleção Catho, a média dos vencimentos do setor vai de R$ 800 (caso de auxiliares) a R$ 16.400 (diretores).

O mundo acadêmico pode auxiliar as empresas nessa tarefa. O wPós oferece quatro cursos de Pós-Graduação a Distância em E-commerce. Os cursos são na área de gestão e capacitam o profissional para o pleno atendimento das demandas. Ao término do curso, o aluno estará apto a utilizar o instrumental teórico e prático do conhecimento educacional para problemas enfrentados pelas instituições na área.

Fonte: Veja.com

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.