Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

INFOGRÁFICO: 4 motivos que podem te colocar na lista de desligamentos

15 de agosto de 2016

Compartilhe esta notícia:

Você está seguro em relação ao seu emprego? Em tempo de crise econômica, o fantasma das reestruturações traz consigo o temor pela demissão. Por isso, é bom estar atento à postura profissional para não entrar na lista de desligamentos. Veja abaixo o que pode colocar você nessa lista.

Em tempos em que as empresas estão reduzindo gastos, a temida palavra reestruturação é tudo o que um profissional não quer ouvir ao ser chamado no RH. Acontece que, diferente do que se pensa, a redução do quadro de colaboradores e os salários não são os únicos critérios quando a tal reestruturação é implementada em uma instituição.

Muitas vezes a decisão de quem fica e quem sai tem muito mais a ver com a análise da postura de cada colaborador diante das adversidades impostas pela recessão.
Veja a seguir alguns dos principais critérios que podem fazer de você o próximo a ser desligado.

A relevância do seu trabalho é determinante durante uma análise de reestruturação. Quanto mais irrelevante para os resultados da empresa é o seu trabalho, mais incerta é a sua permanência no quadro de colaboradores. Já se o seu trabalho traz resultados é bem provável que sua permanência seja vista como estratégica e, portanto, seu nome não deve ser cogitado para corte. Pelo contrário, o que pode acontecer é uma promoção.
A falta de comprometimento é a receita certa para encabeçar a lista de cortes. Reestruturações inteligentes costumam poupar os funcionários que agem como se fossem sócios da empresa. Portanto, ficar acomodado, restringindo-se às tarefas básicas da sua área, e fora de sintonia com o momento difícil da economia é uma péssima escolha.
SER RECLAMÃO
Os colaboradores que costumam reclamar de qualquer adversidade e gostam de deixar clara sua insatisfação são apostas certas na lista de cortes. Por outro lado, destacam-se aqueles que enfocam soluções diante de poucos recursos. A atitude melhor atitude para se destacar como um bom colaborador é buscar alternativas para o êxito da empresa.
MÁ VONTADE DIANTE DE NOVAS
FUNÇÕES E DESAFIOS
Em vez de enxergar a redução dos quadros de colaboradores – e o consequente acúmulo de funções – como um problema, é melhor vislumbrar uma boa oportunidade de crescimento. Assim como os reclamões e os sem comprometimento citados acima, o colaborador que não reage bem a novas funções está mais vulnerável no caso de uma reestruturação. Já os que demonstram disposição em encarar novas funções e desenvolver novas habilidades, têm maiores chances de manter seus empregos. Uma boa ideia é verificar você mesmo quais as oportunidades de começar novos projetos na sua área ou mesmo em outro setor da empresa. Veja isso como uma chance de tornar-se mais relevante.

VEJA TAMBÉM: cinco dicas para ajudar você a conquistar um novo emprego

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.