Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

O que é Sociologia da Saúde?

6 de fevereiro de 2017

Compartilhe esta notícia:

O que é Sociologia da Saúde

A sociologia da saúde está inserida no campo mais amplo da sociologia. Por isso, parte de uma investigação sobre os aspectos socialmente construídos da saúde. Dizemos que algo foi “socialmente construído” quando não resulta apenas de fatores naturais, biológicos, químicos ou físicos, mas sim das interações entre seres humanos, que gera modos de interpretar os dados “naturais” e transformá-los. Os seres humanos são capazes de criar diferentes significados e modos de organização social e o fazem, também, em relação à saúde. A sociologia da saúde se dedica a entender os aspectos da “saúde” que estão relacionados com essa característica criativa humana.

Origem do termo

Assim como a sociologia, que tem uma história relativamente recente enquanto disciplina, o que hoje chamamos de sociologia da saúde já assumiu diferentes formas.  Sua origem pode ser encontrada no que Michel Foucault descreve como biopolítica. Estaria ligada ao avanço dos métodos de racionalização e mensuração da vida (das cidades, dos corpos, do tempo) que marcou a nova forma de poder que acompanhou o surgimento do capitalismo. A medicina social, surgida na Europa no século XVIII, cumpria um papel de organizar métodos para o controle dos corpos não mais individuais, mas de populações, através do mapeamento do espaço urbano.

Assim, ao longo do tempo, a disciplina se constitui em um duplo movimento, em que os profissionais de saúde passaram a se preocupar com as relações de doenças com aspectos sociais e, ao mesmo tempo, a sociologia passou a problematizar a própria relação da sociedade com o corpo e as ideias de saúde e doença.

Quais as concepções de saúde em cada sociedade? Como as sociedades se organizam para o cuidado com a saúde? Que procedimentos são utilizados? Quem está autorizado a utilizá-los? Qual o impacto na saúde de relações sociais de classe, gênero, etc? Essas são algumas das perguntas que orientam as pesquisas dessa disciplina.

No Brasil

No Brasil, a Sociologia da Saúde foi importante para o contexto de reformulação dos departamentos de medicina preventiva, nos anos 1950/1960 e teve grande relevância no movimento sanitarista, que reivindicava, entre outras coisas, a universalização do acesso à saúde, e atuação em aspectos sociais que interferiam diretamente nas condições de saúde no país. Com a formação do Sistema Único de Saúde, conquistado por este movimento, a área se consolidou academicamente e ganhou raízes também entre os departamentos de ciências humanas.

Hoje, com limites disciplinares mais fortemente estabelecidos, a disciplina segue produzindo importantes investigações e explorando novas fronteiras de pesquisa, como as questões relacionadas às políticas públicas de saúde, às diferentes concepções de corpo, saúde e doença, à saúde mental e à sexualidade e gênero. Serve, dessa forma, não apenas como apoio ao trabalho do profissional de saúde, mas à reflexão sobre a própria sociedade como um todo.

Texto escrito por Raquel Sant’Ana, graduada em História (UFF), Mestre em Antropologia Social (UFRJ-MN), e professora da disciplina Sociologia da Saúde na Faculdade UnYLeYa.

Conheça os cursos de Pós-Graduação a Distância do wPós na área da Saúde e especialize-se!

 

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.