Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

Os 7 erros mais comuns dos chefes

23 de novembro de 2015

Compartilhe esta notícia:

A forma como os gestores lideram e conduzem a equipe, influencia tanto na qualidade dos trabalhos desenvolvidos, como também no tipo de ambiente que será estabelecido no dia-a-dia. [tweetable alt=””]Para se tornar um bom chefe, muito mais do que as próprias competências técnicas da profissão, é necessário possuir Inteligência Emocional para assumir o controle da equipe. [/tweetable]Saber enxergar e estimular as potencialidades de cada colaborador, gerenciar os conflitos com assertividade e liderar de forma enérgica, são algumas características principais que os líderes devem possuir para manter a energia da equipe e assim conquistar resultados extraordinários.

Não é raro pessoas que não possuem o perfil de gestão serem promovidas a cargos de chefia, e ao chegar lá acabarem trocando os pés pelas mãos. O que pode custar caro para a empresa, para a equipe e a carreira do gestor em questão. Erros de comunicação e orientação da equipe levam a alta rotatividade e consequentemente a queda da qualidade dos serviços oferecidos.

A fim de alertar os profissionais que já desenvolvem atividades de chefia, ou pretendem algum dia, confira os erros mais nocivos cometidos pelos líderes, e descubra o porquê são tão prejudiciais.

 

  • Não compartilhar sua visão com a equipe

Como chefe a principal tarefa a ser desempenhada, é estabelecer os objetivos a serem alcançados pela empresa, deixando claro aos funcionários o que deve ser feito para conquistá-los, bem como, o que é esperado do trabalho desenvolvido por cada colaborador.

É importante como líder, deixar ciente todos os funcionários sobre quais são os seus planos para o futuro da empresa, e para isso, é necessário compartilhar suas metas e projeções, o que inclui também pedir a ajuda e opiniões dos colaboradores, afinal, se os funcionários não possuírem uma visão geral da empresa e como o próprio trabalho pode afetar no resultado final, será praticamente impossível estabelecer a sincronia necessária para alcançar os resultados.

 

  • Sacrificar a qualidade

Sobrecarregar um colaborar com muitas tarefas, pode afetar negativamente a qualidade do trabalho e criar padrões inferiores que serão difíceis de reverter posteriormente.

Muitas vezes com a alta demanda e pressão por resultados, os líderes acabam distribuindo erroneamente as tarefas, ou criando trabalhos que não teriam tanta necessidade e sobrecarregam alguns funcionários. O resultado não poderia ser outro a não ser a queda da qualidade dos serviços e/ou produtos oferecidos pela companhia.

 

  • Não se posicionar a favor da sua equipe

Se o líder não defender a sua equipe de críticas provindas de outros setores quem o fará?

Em alguns momentos é necessário que o líder tome atitude e tenha a postura que é esperada e que diz respeito ao cargo em que ele ocupa na empresa. Diante do nível hierárquico superior é importante assumir e identificar possíveis falhas, mas jamais ser conivente o tempo todo. Antes de tomar qualquer atitude sobre um conflito, é importante que exista uma conversa com o funcionário para que ele possa dar a sua versão dos fatos, pois isso propicia um clima de respeito e confiança no setor. Não há nada pior para a equipe, do que um chefe que assume uma postura passiva apenas para evitar desconfortos com outros setores ou superiores. Isso só mostra o despreparo da gestão e passa uma visão distorcida do papel que deveria ser desempenhado pelo mesmo, que é de defender e proteger a sua equipe.

 

  • Comunicação ineficiente

Esse é um erro que infelizmente ocorre com certa frequência dentro das organizações. Chefes que por diversos motivos desempenham uma grande quantidade de tarefas e funções, e acabam se esquecendo de comunicar claramente ao funcionário, suas expectativas referentes à determinada tarefa, e ao recebê-la, apenas demonstram sua insatisfação com o colaborador, que terá de desempenhar o dobro de trabalho para refazer, devido à falta de instruções concisas e específicas por parte do líder.

 

  • Reduzir treinamentos

Em meio à crise, tomar medidas para cortar custos é praticamente inevitável. Entretanto, é preciso ter cautela no que diz respeito á diminuição do orçamento para o desenvolvimento dos colaboradores. Aprimorar as qualificações dos funcionários é útil tanto à curto como a longo prazo. Erram as empresas que pensam que estão agindo corretamente ao não investir em seus funcionários, pois é a partir do trabalho que os mesmos desempenham, que os resultados da empresa como um todo são afetados diretamente.

Profissionais com potencial e talento que não se sentem motivados com novos desafios e conhecimentos propiciados pela empresa, acabam pedindo demissão e partindo para outras companhias que devidamente valorizam e reconhecem a importância do trabalho que ele desempenha.

 

  • Fazer somente o que é seguro

Trabalhar somente com aquilo que é conhecido e comprovado pode até ser tentador, mas no final, só levará a equipe à estagnação e a zona conforto – Onde os resultados não passam do esperado, e que não levam nenhuma empresa a chegar muito longe. Característica que pode ser prejudicial á longo prazo.  O recomendado é assumir riscos calculados e explorar novas possibilidades para manter as vantagens competitivas diante da concorrência.

 

  • Não ter proximidade com a equipe

A influência do ego no desempenho profissional é claramente perceptível e, tratando-se de uma chefia, suas implicações são ainda mais graves. Como líder, é fundamental construir uma relação de proximidade com os funcionários. Ter atitudes simples como cumprimentar e chamar individualmente cada um para dar feedbacks, mostra que você valoriza e se importa com as pessoas que você trabalha, o seu time.

E você, já conheceu um chefe que cometia algum desses erros? Compartilhe sua experiência com a gente!

Veja também: Como ganhar ou recuperar a confiança do seu chefe

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.