Opa, pensando em se especializar?
Conheça os nossos mais de 900 cursos de Pós-Graduação EAD.

Conheça os cursos
Fale com um consultor

Outubro Rosa, saiba tudo aqui!

8 de outubro de 2018

Compartilhe esta notícia:

Todo ano, no mês de outubro, as atenções da Saúde são voltadas às políticas de prevenção e tratamento do câncer de mama.  Isso porque este é tipo de câncer mais comum entre as mulheres, com exceção apenas câncer de pele.

De acordo com Instituto Nacional de Câncer (Inca), para 2018, são esperados 59,7 mil novos casos de câncer de mama. Por isso, o Outubro Rosa é tão valorizado por meio de campanhas.

Esta é uma doença que muitas mulheres enfrentam muitos desafios no combate e no seu tratamento, daí a importância de destinar um mês inteiro para falar dela.  Mas afinal, você realmente sabe como identificá-lo e o que fazer para prevenir?

Bom, para responder essa e tantas outras dúvidas, preparamos um guia completo para você aprender tudo a respeito do câncer de mama. Vamos lá?

 

Conhecimento é tudo

A falta de conhecimento ainda acerca muitas mulheres sobre o tema, muitas delas nem se quer sabem como e por onde devem começar a prevenção, de forma que a identificação seja precoce para garantir o sucesso do tratamento.

Pesquisas revelam que uma parcela significativa da população feminina que possuem a doença não sabem nem que há outros subtipos do câncer de mama e, consequentemente, as chances de uma metástase são ainda maiores.

Infelizmente, a mesma pesquisa revela que a insuficiência de conhecimento é mais constante em mulheres que são atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em comparação àquelas que são atendidas em unidades privadas de saúde.

 

Vença o medo

Outro fator determinante para a falta de conhecimento é o medo do diagnóstico. Apesar de os médicos tentar passar a maior quantidade possível de informação sobre a doença, o medo dela ainda impede que as pacientes os questionem.

Nesse sentido, é importantíssimo mudar essa cultura e fazer do atendimento um contato mais humanizado, fazendo, assim, com que a paciente se sinta à vontade para tirar todas as suas dúvidas.

O câncer de mama é um tema que está sempre em voga e cada vez mais difundido, portanto, a detecção da doença deve ser precoce e o seu tratamento pode ser revertido.

 

Fique de olho nos sintomas

Ao falar em sintomas do câncer de mama, não podemos negar que a primeira referência que vem à mente é presença de nódulos sejam eles identificados por meio do autoexame ou da mamografia, certo?

É melhor ficar atenta, pois este não é o único sinal de que as coisas não vão bem. O nódulo é apenas um dos sintomas da fase inicial da doença.

Jamais ignore qualquer outro sintoma, confira abaixo o que listamos para você e não deixe de procurar ajuda médica.  Veja:

 

Fatores de risco

Há vários fatores de risco que é sempre bom ficar em alerta, como:

  • Risco genético – dois ou mais parentes com caso de câncer de mama;
  • Idade – de 40 a 69 anos de idade;
  • Menstruação precoce – primeira menstruação ocorre entre os 9 e 10 anos;
  • Menopausa tardia;
  • Reposição hormonal;
  • Colesterol alto;
  • Obesidade;
  • Mulheres que nunca tiveram filhos.

 

Diagnóstico

Como você pôde perceber, quanto mais rápido conseguir detectar um tumor, mais efetivo será o seu tratamento. Depois de realizar o autoexame e sentir alguma alteração, busque orientação médica o quanto antes.

Ao consultá-la, havendo a necessidade, médico vai solicitar exames que lhe darão uma precisão maior. A mamografia, por exemplo, é o exame mais indicado para o diagnóstico. É um exame de imagens e não invasivo, o aparelho consegue identificar tumores malignos.

 

Idade ideal para se fazer exame de mamografia

Esta é uma questão bastante polêmica, porque muitos médicos defendem que o exame deve ser feito por mulheres a partir dos 40 anos de idade. Já o Instituto Nacional de Câncer (Inca) aconselha entre os 50 e os 69 anos, a cada dois anos.

Perante essa contradição, o mais adequado é considerar seu histórico familiar, outras peculiaridades e conversa com seu médico. Ele te dirá qual o momento certo.

 

Como é o tratamento?

Após o diagnóstico, não se desespere! O tratamento contra a doença costuma ser bastante efetivo, caso seja detectado precocemente. Portanto, não deixe de fazer o autoexame constantemente, ele é importantíssimo para o sucesso tratamento.

Os tratamentos são os mais diversos, que podem ser combinados ou não. A cirugia é indicada para retirada de todo tipo de câncer, no caso da mama, pode ser retirada parte ou totalmente a mama.

O tipo de tratamento será avaliado pelo seu médico, que além da cirurgia, poderá indicar a quimioterapia, a radioterapia, hormonioterapia ou a imunoterapia.

O New England Journal of Medicine apresentou um estudo que acompanhou mais de 10 mil mulheres, por nove anos, durante a luta contra o câncer de mama. O estudo revelou que após a retirada do tumor, as pacientes com baixo risco de reincidência poderiam deixar o tratamento com a quimioterapia e seguir tratando exclusivamente com a hormonioterapia, isto é, bloqueio do hormônio que coopera para a volta do câncer.

Agora que você já sabe melhor sobre o câncer de mama, compartilhe nas suas redes e ajude a campanha do Outubro Rosa.

 

 

Compartilhe esta notícia:

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Assine nossa newsletter

Junte-se às mais de 80 mil pessoas que receberam nossas novidade sobre pós-graduação a distância por email.